domingo, agosto 10, 2014

simples

o cabelo molhado, as costas suadas, as pernas que fraquejam. é dura a subida e, contudo, doi menos que a ausência de duas noites lá longe. lisboa, bairro em que vivo e duro. são longas as noites sem ti e maior ainda o tempo que me falta até ser tempo para estar aí. a nossa cama é quase. ganha corpo, e vive aqui nestas palavras. é simples. e real. e agora?

Sem comentários: