segunda-feira, novembro 03, 2014

III


- não há vacina, nem se pode falar em cura, o que apresentamos hoje são, apenas e só, uns primeiros resultados promissores e animadores.
- dra., mas estamos a falar de testes que apoiados pelas grandes farmacêuticas podem resultar em avanços significativos?
- exactamente! estamos sempre a falar da necessidade de apoio financeiro e, sobretudo, de ajudas às equipas de investigação. agradeço mais uma vez a presença de todos mas a conferência está terminada.

Sem comentários: