segunda-feira, novembro 10, 2014

X

"posso ir brincar com a maria, mãe? posso ir brincar com a maria, mãe? posso ir brincar com a maria, mãe?", três vezes e nada. nem uma resposta. és silêncio. bato à porta da biblioteca e tu estás com o olhar perdido no céu azul. não me ouves, nunca me ouves. "posso ir brincar com a maria, mãe?" não te viras e disses apenas "fizeste os trabalhos todos? vai fazer mais, se queres ser a melhor, não há espaço para brincadeiras. e agora deixa-me trabalhar." os teus olhos cheios de céu, os meus cheios de mar. são assim os meus dias, longe de maria, das crianças e da infância. sou uma velha antes de tempo, sinto-me presa aos teus sonhos, mãe. e eu que não sei onde fica o meu céu ao fim do dia

Sem comentários: