sexta-feira, novembro 21, 2014

XXI

não sei de ti há semanas. não falo com a minha mãe há dias. estou fechada nestes livros de lombada larga, desaparecida nos laboratórios etéreos, enganada pelo futuro-hoje que me prometeram. tu. e a minha mãe. tenho saudades tuas. preciso de falar contigo. custa-me esta ausência. eu percebo que não queiras falar comigo, eu até percebo. mas dói. perdoa-me, maria.

Sem comentários: