segunda-feira, novembro 24, 2014

XXIV

pedro! não me olhes assim, não me chames assim, não me toques assim. não sabes quem eu sou, não sabes o que já vivi, não sabes o que sou para lá desta pessoa-bata. não, pedro. não vou beber mais um café, não vou falar contigo até de manhã ou até perderes as forças. não quero estar do teu lado até ao fim. não, pedro, não me posso apaixonar mais esta vez. não quero um calendário em que sei bem qual será a última página. deixa-me, pedro. não me olhes assim, não me chames assim, não me toques assim. não me beijes! amo-te, pedro. vou amar-te para sempre.

Sem comentários: