quarta-feira, novembro 26, 2014

XXVI

3330, um triste toque polifónico, e as palavras que insistiam em não vir, sempre chegaram na volta do correio. maria! tu, do outro lado do mundo, e eu aqui. não te tive mais, não tiveste mais o carlos. não fomos mais a inocência da juventude, as promessas que achámos que eram sangue eterno a escorrer pelos nossos dedos. maria! tu, do outro lado do mundo, e eu aqui, já sozinha, como sempre me encontrei nos livros que me oferecias. maria, explica-me! um frasco que virou vazio, um corpo que caiu desamparado e tu tão longe do meu último abraço. fiquei sem adeus, sem amor, sem nada. o carlos foi um empréstimo demasiado caro para conseguir pagar. maria, a tua mãe contou-me que vocês não se deixaram de ver e eu compreendo. compreendo tudo, só não percebo onde ficou o nosso até já.

Sem comentários: