quinta-feira, novembro 27, 2014

XXVII

o primeiro natal. as fatias a dourar a mesa da sala, o bacalhau de todos, a árvore pintada de presentes, o terno colo da avó, os pais apaixonados, este natal marcado na minha cabeça. era pequena, feliz e não encontrei mais a porta daquela sala. o natal volta sempre, a minha meninice é que foi um presente oferecido a uma outra vida. o primeiro natal foi o último e “o que foi não volta a ser” uma estúpida canção que toca no autorádio. desligo tudo.

Sem comentários: