segunda-feira, março 27, 2017

a vida não é uma brincadeira

pára com isso! já te avisei mil vezes, que parvoíce!, gritou-lhe. peter baixou a cabeça e sussurrou algumas palavras. era sempre assim. ele sempre louco, sempre a rir, sempre criança. a vida não é uma brincadeira, peter pan. a vida tem dias tristes, contas para pagar e silêncios pesados. peter  cresceu sozinho, entre palavras escritas e ausências notadas, entre telefones desligados e choros convulsos no quarto do fundo, lá fundo. a escola trouxe-lhe amigos, noites de copos, mulheres e paixões. tudo intenso, tudo vivido, e, contudo, o quarto do fundo ficou sempre lá. ficou sempre no fundo. peter pan não queria crescer, queria amar como nos livros da casa da avó, queria beijar a noite toda, queria tudo. peter quer tudo menos ser crescido. é uma seca. e quando há seca, mete-se água. atirou-lhe água. novamente. pára com isso! já te avisei mil e uma vezes, que parvoíce., gritou-lhe.

Sem comentários: